BoosterAgro Blog

Categoria:

O que é análise de solo e para que serve?

análise de solo

Neste artigo veremos o que é uma análise de solo, para que serve, como fazer, como interpretar os resultados e, principalmente, no que essas informações auxiliam no manejo do solo!

Da mesma forma que os seres humanos precisam de água e nutrientes para sobreviver, as plantas necessitam de insumos para o seu bom desenvolvimento.

Por isso, é importante realizar a análise de solo, que é uma investigação de como está a fertilidade do solo que será semeado entre outras características importantes.

Ela serve para ajudar a indicar as quantidades corretas de adubo a aplicar no solo a fim de suprir a demanda das plantas.

Assim, para realizar tal análise, antes é preciso fazer uma amostragem do solo, que é a avaliação de uma pequena parte do talhão da fazenda que será utilizado como base para representar uma área maior da cultura.

Quais são os tipos de análise de solo?

Existem diversos tipos de análises de solo, sendo que as mais comuns são as análises físicas e químicas.

Análises físicas do solo

As análises físicas mais usuais estão relacionadas, por exemplo, aos teores de areia, silte e argila no solo. Pois, solos mais argilosos se comportam de maneira diferente se comparados com solos arenosos.

Isso porque, os solos argilosos geralmente armazenam mais água, nutrientes e matéria orgânica, apresentando melhores fertilidades quando comparados aos solos arenosos, que costumam ter uma drenagem melhor.

No entanto, se seu solo é arenoso, não se preocupe, pois conhecendo suas propriedades é possível manejar as áreas e obter altos rendimentos produtivos, visto que existem variedades e híbridos adaptados às diferentes condições climáticas do Brasil.

Análises químicas do solo

Ainda é possível separar as análises químicas em análises básicas e análises completas.

As análises básicas determinam os teores de nutrientes essenciais para o desenvolvimento das plantas e devem ser feitas anualmente, no entanto, não determinam todos os micronutrientes presentes no solo.

Como exemplo, temos a SQ1.1, realizada pelo Laboratório de análise de solo da ESALQ/USP (Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”), que determina os atributos abaixo evidenciados.

análise de solo - Análise química da fertilidade do solo (Fonte: Laboratório de Análise de Solo ESALQ/USP)
Análise química da fertilidade do solo (Fonte: Laboratório de Análise de Solo ESALQ/USP)

Já as análises mais completas determinam os macronutrientes e os micronutrientes que podem auxiliar no aumento da produtividade e melhor desenvolvimento da cultura no campo.

Como exemplo de uma análise completa temos a análise SQ6.1 que determina, por exemplo:

  • pH CaCl2
  • MO (teor de matéria orgânica)
  • P (teor de fósforo)
  • K (teor de potássio)
  • Ca (teor de cálcio)
  • Mg (teor de magnésio)
  • H+Al (acidez trocável do solo)
  • os cálculos SB (soma de bases)
  • cálculo da CTC do solo
  • V% (saturação por bases)
  • Al (teor de alumínio)
  • cálculo m% (saturação por alumínio)
  • S (teor de enxofre)
  • e teor de micronutrientes B (boro), Cu (cobre), Fe (ferro), Mn (manganês), Zn (zinco), além dos teores de Na (sódio) e Si (silício)

Como realizar uma boa amostragem de solo?

Para realização de uma boa amostragem o primeiro passo é fazer um planejamento da fazenda.

Assim, fatores como tamanho da área e número de pontos amostrais são essenciais para o posterior processamento dos dados laboratoriais e criação dos mapas de recomendação.

Os dois principais tipos de amostragem de solo são: em células ou em grade por ponto.

Amostragem de solo em célula

Cada talhão é considerado uma célula e, independentemente do tamanho (5 ha, 10 ha ou 20 ha por exemplo), serão retiradas subamostras que sejam representativas na área, colocadas em um balde e misturadas; após, apenas uma amostra é retirada do balde e enviada para o laboratório.

Essa metodologia de amostragem é a mais barata e simples de executar e não necessita de interpolação para criação dos mapas de recomendação, pois cada talhão é considerado uma célula, o valor resultante das análises laboratoriais serão atribuídos para toda a célula.

amostragem em célula para análise de solo
Amostragem em célula (Fonte: Boletim Técnico LAP ESALQ/USP)

Amostragem de solo em grade por ponto

Já na amostragem em grade por ponto é necessário criar uma grade amostral em um software ou aplicativo SIG, e a coleta em campo é norteada por um GPS para localização dos pontos e posterior envio para o laboratório.

Assim, com os resultados laboratoriais em mãos, as amostras devem ser interpoladas para criação dos mapas de recomendação.

Esse procedimento é mais caro, pois geralmente são usadas grades densas de 1 amostra por hectare e demanda certa habilidade para o geoprocessamento.

Realizando a amostragem para análise de solo

Em ambos os casos, as amostras podem ser coletadas com trado manual, equipamentos elétricos, hidráulicos, a combustão ou acoplados a quadriciclos.

Ferramentas manuais possuem menores rendimentos operacionais e são indicados para áreas menores, enquanto que quadriciclos e trados elétricos possuem maiores rendimentos e são indicados para áreas maiores.

A amostragem é essencial para o sucesso no campo, uma vez que, se ela estiver errada, todos os passos seguintes e as adubações serão realizadas de maneira incorreta, afetando a produtividade em campo.

Além disso, vale ressaltar que a amostragem deve ser feita logo após a colheita e com cerca de 3 a 4 meses antes da semeadura, porque este é o tempo estimado para o laboratório analisar o material, criar mapas e cálculos das adubações, fazer o planejamento, compra, entrega, aplicação e reação destes insumos no solo.

Como é feita a análise de solo e como interpretá-la?

Existem vários procedimentos laboratoriais, como resinas extratoras que podem simular o comportamento das raízes das plantas.

Quanto à profundidade de amostragem, as recomendações são:

  • Culturas perenes: 0-20 cm e 20-40 cm
  • Culturas anuais: 0-20 cm
  • Pastagens: 0-20 cm
  • Áreas com alumínio ou acidez em profundidade: 0-20 cm, 20-40 cm e 40-60 cm
análise de solo - valores para cálculo de recomendação na cultura da cana de açúcar
Valores para cálculo de recomendação na cultura da cana-de-açúcar (Fonte: Boletim 100)

Na análise de solo, encontramos valores de teores de:

  • macronutrientes primários – Nitrogênio (N), Fósforo (P) e Potássio (K)
  • macronutrientes secundários – Cálcio (Ca), Enxofre (S) e Magnésio (Mg)
  • micronutrientes – Boro (B), Cloro (Cl), Cobre (Cu), Manganês (Mn), Molibdênio (Mo) e Zinco (Zn)
  • além de valores de pH, acidez trocável e acidez total, soma de bases (SB), saturação por bases (V%), CTC do solo, CTC efetiva, teor de matéria orgânica etc.

A faixa ideal de pH do solo é entre 6,0 e 7,0, porque é nessa faixa que ocorre a melhor disponibilidade de nutrientes, conforme pesquisa de Malavolta (1979).

análise de solo - a influência do pH na disponibilidade de nutrientes no solo
Disponibilidade de nutrientes conforme o valor do pH (Fonte: Malavolta, E. ABC da Adubação. São Paulo: Ceres, 1979)

No entanto, vale destacar os valores não são uma regra, havendo diferentes boletins regionais que variam conforme cada cultura, sendo essencial o conhecimento prévio do profissional para interpretação das análises laboratoriais e criação dos mapas de recomendação.

Como essas informações ajudam no manejo do solo?

Com as informações da fertilidade de solo é possível, por exemplo:

  • Otimizar a aplicação de insumos na área;
  • Aumentar a produtividade da lavoura;
  • Planejar antecipadamente a safra (semeadura e colheita);
  • Ter um histórico de fertilidade das áreas;
  • Analisar as manchas no campo;
  • Semear híbridos diferentes baseados nas manchas (variações).

Além disso, aplicativos como o BoosterAgro podem auxiliar no levantamento de dados e informações de manchas no solo associadas à biomassa e mapas de NDVI, os quais podem nortear as amostragens de solo para melhorar o manejo das culturas.

Conclusão

Em resumo, a amostragem de solo é essencial para o correto entendimento e manejo da fertilidade dos solos da fazenda. Ela é o primeiro passo para o planejamento da próxima safra.

Além disso, é importante olhar com atenção os valores obtidos na análise de solo a fim de implementar melhorias no manejo do solo e adotar uma adubação mais adequada frente a expectativa de produção da lavoura.


Se você gostou deste conteúdo, então leia também:

A importância da CTC do solo na fertilidade da sua lavoura

Adubação Verde: Conheça 10 benefícios

Estrutura do Solo: o que é e como conservá-la?

Compactação do Solo: tudo o que você precisa saber

Compartilhe nas redes sociais!

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Conteúdos relacionados

Simplifique seu dia a dia no campo com nosso app!
Posts recentes

Quer receber os conteúdos por Whatsapp?