BoosterAgro Blog

Categoria:

Conheça o papel do “Zoneamento Agrícola de Risco Climático” na gestão da sua fazenda

Produtor rural no campo

O Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc), tem sido ampliado no Brasil, o que aumenta o leque de informações sobre os riscos climáticos de diversas culturas agrícolas no país  

O Zarc (Zoneamento Agrícola de Risco Climático) é um importante estudo que indica datas e períodos ideais para plantio e semeadura de diversas culturas, por município, no país.

Ou seja, os estudos do Zarc apontam características do clima, tipos de solo, cultivares mais adequadas e seus ciclos, bem como as épocas mais e menos sensíveis para as culturas.

Assim, a partir dessas informações, é possível obter uma orientação mais correta na contratação do seguro rural e na concessão do crédito de custeio oficial.

Devido a sua importância, o Zarc tem passado por ampliações que devem ser finalizadas até o final deste ano, quando será lançado o ZarcPRO, versão mais avançada do estudo.

Neste artigo, você verá uma explicação sobre o Zarc, as novidades e como ele te auxilia na gestão da sua fazenda. Além disso, saiba também como consultar o Zarc da sua lavoura. Confira!

Mas, o que é o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc)? 

O Zarc é um instrumento de política agrícola e gestão de riscos, conforme definição do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

Desenvolvido pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), o Zarc é aplicado oficialmente no Brasil desde 1996, quando foi lançado o Zarc do trigo.

Atualmente, os estudos do Zarc abrangem 44 culturas de ciclo anual e permanente, em todos os estados do Brasil, conforme o Mapa.

Há, ainda, o Zarc para o consórcio de milho com braquiária de 2ª safra, no qual o produtor colhe duas safras e pode utilizar a palhada para cobrir o solo no plantio da próxima.

Além disso, para gerar a menor margem de erro, os estudos do Zarc são revisados a cada 5 anos, quando são introduzidas novas metodologias, dados, fenômenos climáticos e tecnologias.

Planejamento da safra

Por meio do Zarc, você pode planejar melhor a sua safra e evitar riscos de perdas na produção, ou ainda prever com mais assertividade determinadas situações.

Geralmente, os estudos do Zarc, divulgados no DOU (Diário Oficial da União), são de fácil entendimento e adoção por parte de produtores rurais e agentes financeiros.

Regido pelo Decreto nº 9.841/2019, o Zarc envolve uma cadeia de pesquisa e política agrícola, com mais de 100 pesquisadores e 32 colaboradores de várias instituições.

Os profissionais são responsáveis por realizar pesquisas de modelagem, simulações e processamentos de alto desempenho.

Assim, são feitas análises a partir de parâmetros de clima, solo e ciclo de cultivares, com metodologia desenvolvida pela Embrapa.

Como é feita a divisão dos estudos sobre o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc)

Ao longo dos anos, os estudos sobre o Zarc vêm sendo aperfeiçoados. Para que assim, ele possa traduzir a realidade produtiva de cada cultura e em cada cidade pesquisada.

Níveis de risco

Atualmente, os níveis de risco do Zarc são de 20%, 30% e 40%. E é possível realizar essa identificação com base na aplicação de um modelo de balanço hídrico de cada cultura e região.

Assim, para isso são consideradas:

  • As exigências hídrica e térmica;
  • A duração do ciclo da cultura;
  • As fases fenológicas;
  • A reserva útil de água nos diversos tipos de solos;
  • O regime pluviométrico;
  • E a evapotranspiração de referência de pelo menos 15 anos.

Tipos de solo  

As classificações dos tipos de solo são de fundamental importância para o Zarc.

Isso porque, com base neles, é possível ter estimativas sobre a capacidade de armazenamento de água nas três classes de solo:

1. Solos arenosos

Conhecidos como “solos leves”, os solos arenosos possuem textura leve e granulosa. Eles são compostos em sua maior parte (70%) por areia e apenas 15% de argila.

Assim, caracterizam-se por terem baixa capacidade de retenção de água e nutrientes, além de terem baixo teor de matéria orgânica.

2. Solos de textura média   

São solos que apresentam teores de areia, silte e argila de forma equilibrada. Possuem boa drenagem, boa retenção de água e nutrientes, e, por isso, se adequam a todos os tipos de irrigação.

3. Solos argilosos 

Geralmente, possuem teores de argila acima de 35%, baixa permeabilidade e alta capacidade de retenção de nutrientes. Além disso, são muito suscetíveis à compactação.

A estimativa da capacidade de armazenamento de água em cada tipo de solo é fundamental para o Zarc. Sobretudo para estimar riscos em áreas de sequeiro e irrigadas.

A importância do Zarc para a agricultura

Além de ser uma ferramenta de grande utilidade para o planejamento da sua lavoura, o Zarc é importante para o acesso a outros dois benefícios governamentais:

  • O prêmio do seguro rural;
  • E o crédito rural de custeio, também conhecido como Proagro (Programa de Garantia da Atividade Agropecuária).

Para obter os benefícios desses programas, você deve observar as recomendações do Zarc. E isso vai influenciar em praticamente tudo no valor da apólice do seguro rural.

Isso porque, o Zarc disponibiliza informações sobre melhores épocas de plantio. E isso favorece à redução de perdas por eventos meteorológicos adversos. Como, por exemplo, as geadas, que neste ano tem prejudicado muitos produtores rurais do Sul e Centro-sul do Brasil.  

Ainda com base nas informações do Zarc, você pode adotar técnicas de manejo do solo que visem uma maior disponibilidade hídrica para a cultura, bem como um melhor aproveitamento da água.

Como consultar o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) da sua cultura

Por meio de portarias da Secretaria de Política Agrícola do Mapa, é que ocorre a publicação dos resultados dos estudos do Zarc, por cultura e unidade da federação.

Ele contém a relação de municípios indicados ao plantio e seus respectivos calendários de plantio ou semeadura. 

Assim, para saber se a cultura que você cultiva já tem o Zarc, basta acessar o Painel de Indicações de risco do Mapa ou a tábua de risco do Zarc.

Novidades do Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc)

O Mapa prepara um pacote de novidades sobre os estudos do Zarc para ser publicado até o final deste ano, após convênio no valor de R$ 28,5 milhões entre a Embrapa e o Banco Central.

Uma das principais novidades é a ampliação do Zarc para mais de 30 culturas. Veja no quadro abaixo as mudanças do Zarc.  

Imagem sobre as novidades nos estudos do Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) no Brasil
Mudanças são consequências do aperfeiçoamento das metodologias do ZARC (Reprodução: Mapa)

O Mapa lançará o ZarcPRO, que consiste em uma nova metodologia que está em desenvolvimento e considerará diferentes níveis de produtividade esperada.

Ainda segundo o Mapa, “essa novidade nos estudos tem potencial de gerar informações de risco para produtividades esperadas, compatíveis com o potencial e risco de cada ambiente, bem como para diferentes níveis tecnológicos”.

A metodologia do ZarcPRO será, primeiramente, para as culturas de soja, milho e cana-de-açúcar, e deve ser apresentada até dezembro de 2021.

Conclusão

O Zarc, conforme você observou, é uma importante ferramenta para a gestão da sua fazenda, pois informa, com base em estudos científicos, os níveis de riscos para diversas culturas no Brasil, em áreas irrigadas e de sequeiro.

Além disso, é importante também para balizar seu acesso ao seguro rural e o Proagro.

Consulte o Zarc da sua cultura e trabalhe conforme as indicações dos estudos. Assim, você reduzirá perdas e terá mais ganhos com a sua produção.   

Compartilhe nas redes sociais!

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Conteúdos relacionados

Simplifique seu dia a dia no campo com nosso app!
Posts recentes

Quer receber os conteúdos por Whatsapp?